top of page

DIÁLOGOS COM UM CALENDÁRIO

de Veronika Boutinova

Volta à cena para mais 4 apresentações!

de 18 a 21 de Janeiro '23 // 21h30

n' a bruxa TEATRO

Damos as boas vindas a 2023 com a reposição de 'Diálogos com um Calendário'.

O espectáculo, estreado a 17 de Novembro de 2022 e que teve as últimas sessões da carreira canceladas, será reposto entre os dias 18 a 21 de Janeiro, pelas 21h30, n' a bruxa TEATRO.

_DSC5029_1.jpg

Um solitário dialoga com a mulher semi-nua de um calendário erótico preso na sua cozinha. A jovem, originária de África (qualquer semelhança entre as palavras proferidas pela actriz e o seu país de origem, é pura coincidência), logo se transforma para implorar ao homem que case com ela, a fim de facilitar a obtenção de nova nacionalidade num país europeu, onde possa viver pacificamente com o seu filho.

Quem é esta mulher? Uma fantasia? Um corpo de verdade? A memória de uma paixão que o homem quer esquecer apesar das suas promessas de casamento?

Sim, o filósofo careca e Natalina tiveram um amor forte, um amor louco, mas voltando a casa, o europeu vira costas ao altruísmo, demasiado preocupado com a sua liberdade, exibindo a imagem do seu remorso.

Pelo meio, outras mulheres – ou a mesma mulher, em momentos diversos da sua vida dura? – povoam o tempo e o espaço de dois solitários.

Mulheres que tentam afirmar o seu empoderamento num mundo hostil, onde o sexo é a pedra de toque dos relacionamentos – tantas vezes dinamitados – e do poder.

Texto VERONIKA Boutinova

Tradução JOANA Caspurro

Cenografia e figurinos Pedro FAZENDA

Encenação e Desenho de luz Figueira CID

Assistente de encenação ELSA Pinho

Com DANILSA Gonçalves, Duarte BANZA e APOLLO Neiva

Voz de criança DIOGO Munguambe Fortes

Operação de luz e som HENRIQUE Martins

Construção Carpintaria CME

Imagem do espectáculo e Fotografia de cena LUÍS Cutileiro

Secretariado e Produção VANDA Rufo
 

M/18

NÃO VAIS ENTRAR?

de Mariana Fonseca

17 DEZEMBRO // 21h30

acolhimento 'a bruxa TEATRO'

 

 

NÃO VAIS ENTRAR?, a nova criação teatral de Mariana Fonseca, parte de um diálogo entre os trabalhos de Valter Vinagre e de Jaime Rocha.

Num ambiente próprio de um peepshow, por uma frincha, somos convidados a escutar discursos paralelos à prostituição e a refletir sobre corpos-máquina; abrigos-mãe; condições, direitos e valores femininos.

NÃO VAIS ENTRAR? engloba três diferentes performances que se servem de linguajares singulares para proporcionar uma experiência efémera, mas multifacetada.

_G7A2778©ALIPIO.jpg

Criação e Interpretação: Mariana Fonseca
Desenho de luz: Janaina Gonçalves
Música e Som: João Gamory
Produção: Bernardo Peixoto
Apoio à criação: Rafael Barreto e Sofia Soromenho
Consultoria artística: Jaime Rocha e Valter Vinagre
Apoio à dramaturgia: Jaime Rocha
Cenografia: Pedro Silva
Figurinos: Conceição Ferreira
Direção de movimento: Rafael Barreto e Sofia Soromenho
Desenho digital: Patrícia Freire
Fotografia: Valter Vinagre
Fotografias Promocionais: Ricardo Reis

 

M/14 


reservas e bilheteira 266 747 047 // abruxateatro@gmail.com

_G7A2336©ALIPIO.jpg
NÃO VAIS ENTRAR_ - ©Ricardo Reis.jpg
DIÁLOGOS... Cartaz A3a.pdf.jpg

DIÁLOGOS COM UM CALENDÁRIO

de Veronika Boutinova

Informação

Por motivos de falecimento de familiar de elemento do elenco, os espectáculos previstos para esta semana, os últimos, ficam cancelados.

O espectáculo será reposto, posteriormente, em datas a anunciar.

Diálogos com um calendário.JPG

DIÁLOGOS COM UM CALENDÁRIO

de Veronika Boutinova

 

ESTREiA a 17 de Novembro a 46ª produção d' a bruxa TEATRO

17 NOV a 3 DEZ

quarta a sábado | 21h30

Um solitário dialoga com a mulher semi-nua de um calendário erótico preso na sua cozinha. A jovem, originária de África (qualquer semelhança entre as palavras proferidas pela actriz e o seu país de origem, é pura coincidência), logo se transforma para implorar ao homem que case com ela, a fim de facilitar a obtenção de nova nacionalidade num país europeu, onde possa viver pacificamente com o seu filho.

Quem é esta mulher? Uma fantasia? Um corpo de verdade? A memória de uma paixão que o homem quer esquecer apesar das suas promessas de casamento?

Sim, o filósofo careca e Natalina tiveram um amor forte, um amor louco, mas voltando a casa, o europeu vira costas ao altruísmo, demasiado preocupado com a sua liberdade, exibindo a imagem do seu remorso.

Pelo meio, outras mulheres – ou a mesma mulher, em momentos diversos da sua vida dura? – povoam o tempo e o espaço de dois solitários.

Mulheres que tentam afirmar o seu empoderamento num mundo hostil, onde o sexo é a pedra de toque dos relacionamentos – tantas vezes dinamitados – e do poder.

diálogos 1.JPG

Texto VERONIKA Boutinova

Tradução JOANA Caspurro

Cenografia e figurinos Pedro FAZENDA

Encenação e Desenho de luz Figueira CID

Assistente de encenação ELSA Pinho

Com DANILSA Gonçalves, Duarte BANZA e APOLLO Neiva

Voz de criança DIOGO Munguambe Fortes

Operação de luz e som HENRIQUE Martins

Construção Carpintaria CME

Imagem do espectáculo e Fotografia de cena LUÍS Cutileiro

Secretariado e Produção VANDA Rufo


 

M/18

Duração 80 minutos


 

Produção a bruxa TEATRO

Coprodução Câmara Municipal de Évora

Estrutura financiada por República Portuguesa - Cultura e DGArtes

Apoios IEFP, Direcção Regional de Cultura do Alentejo, PédeXumbo, Diana FM

diálogos... banner.jpg

Título 3

Cartaz Exposição 2.png

exposição

a bruxa TEATRO: 20 ANOS DE “MUITA MERDA”

17 Nov a 3 Dez

17h-19h/21h-23h30 | quarta a sábado

rua do eborim | espaço celeiros | sala 5

 

Foi a 9 de Setembro de 2002 que tudo começou.

Um apoio do então Instituto das Artes para o espectáculo 'Rindo à Bruta', de Christopher Durang (USA), lançava a primeira pedra de um projecto, de alguma forma inovador: na escolha criteriosa dos textos, de autores, muitas vezes, premiados, na abordagem estética e profissional e, sobretudo, no enorme desafio para a equipa artística. No final, haveria de ficar a beleza das palavras, um realismo poético, tantas vezes com um perfume de absurdo, a ousadia e o risco.

Quarenta e cinco produções.

Uma curta-metragem: 'Pobre de Pedir', realizada por Vítor Moreira.

E o Évora Teatro Fest.

A exposição evocativa dos 20 ANOS da ‘a bruxa TEATRO’ reúne textos, fotografias, objectos cénicos, figurinos e também a colecção de obras de arte, originais, que ao longo destes 20 anos foram criadas - por mais de 3 dezenas de artistas - para serem a imagem de cada uma das produções.

Inauguração 17 de Novembro às 17:00h

A exposição está patente de 17 de Novembro a 03 de Dezembro de 2022

17h – 19h / 21h – 23h30 [de quarta a sábado]

Rua do Eborim, 16 | Espaço Celeiros | Sala 5


 

Produção a bruxa TEATRO

Coprodução Câmara Municipal de Évora

Estrutura financiada por República Portuguesa - Cultura e DGArtes

Apoios Direcção Regional de Cultura do Alentejo, PédeXumbo, Diana FM

Sou um parágrafo. Clique aqui para adicionar e editar seu próprio texto. É fácil.

APNEIA

produção Malvada, Associação Artística

5 a 8 Outubro | 21h30

acolhimento 'a bruxa TEATRO'

 

 

Entre os dias 5 e 8 de Outubro, recebemos a Malvada Associação Artística e a sua mais recente produção teatral, 'APNEIA'.

O espectáculo, com texto e encenação de Ana Luena, conta com interpretação de Helena Baronet, Nuno Nolasco e Rafael Ferreira e música e interpretação ao vivo de Zé Peps.

Imagem_P_Cartaz_APNEIA_08-min.jpg
Imagem_P_Cartaz_APNEIA_10-min.jpg

O espetáculo APNEIA integra o projeto de cruzamento disciplinar de religação à natureza PLANTA, ao longo do qual também se apresenta uma Escrita Epistolar e uma Exposição Fotográfica, interligados num processo de inteligência distribuída similar ao das plantas.

 

A dramaturgia parte da ideia de jardim como laboratório de experimentação de relações, um espaço delimitado, de conexão com a natureza e de escuta do outro. Na cena aprofundamos o caráter corpóreo intrínseco da noção japonesa de “Ma”, privilegiando a percepção e a visão relacional. É este espaço de coexistência e alteridade que se explora, em que o limite não é uma fronteira que separa mas uma linha permeável.

 

A cena apresenta-se como um ensaio, no duplo sentido de criação e repetição. O processo de extinção começou há muito tempo e decorre a alta velocidade. Podemos desacelerar um pouco, ensaiar a imobilidade, a suspensão voluntária ou involuntária da respiração. Mas os seres humanos só conseguem viver em apneia durante alguns minutos mantendo a lucidez.

 

Somos exemplos de uma espécie em extinção. Fósseis. Não conseguiremos contar-vos linearmente como é que chegamos a esta situação. A despedida do mundo aconteceu sem nos apercebermos. Não houve sequer um fim de festa e por isso choramos. 

 

A alucinação versus o cotidiano ou a alucinação do cotidiano. 

 

O que sabemos nós sobre as plantas? 

O que sabemos de nós?

Imagem_P_Cartaz_APNEIA_09-min.jpg

Criação Ana Luena e José Miguel Soares

Texto, encenação, cenografia e figurinos Ana Luena

Interpretação Helena Baronet, Nuno Nolasco e Rafael Ferreira

Desenho de luz Pedro Correia

Música e interpretação ao vivo Zé Peps

Design gráfico Joana Areal

Assistência de produção Beatriz Ourique

Coprodução Município de Évora, Teatro Municipal de Bragança, Teatro Municipal de Vila Real

Residência de coprodução O Espaço do Tempo

Fotografia José Miguel Soares

Produção Malvada Associação Artística

Planta tem o Apoio da República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes

 

M/14 

duração aproximada 70 minutos


reservas e serviço bilheteira maa.comunicacao@gmail.com | tlm. 912490351

 

APNEIA | 5 a 8 de Outubro

quarta a sábado | 21h30

Setembro: o mês dos 20 ANOS e dos regressos...

 

 

Foi a 9 de Setembro de 2002 que tudo começou.

Um apoio do então Instituto das Artes para o espectáculo 'Rindo à Bruta', de Christopher Durang (USA), lançava a primeira pedra de um projecto, de alguma forma inovador: na escolha criteriosa dos textos, sempre contemporâneos e, salvo um outro caso, originais em Portugal (com algumas, raras, passagens pelos séculos XVI e XVIII), de autores, muitas vezes, premiados, na abordagem estética e profissional e, sobretudo, no enorme desafio para a equipa artística. No final, haveria de ficar a beleza das palavras, um realismo poético, tantas vezes com um perfume de absurdo, a ousadia e o risco.

Uma ousadia e um risco que, certamente, perdura. Para nosso gaudio e dos espectadores, entidade concreta mas abstracta na diversidade e que dá sentido à nossa existência e a quem, em primeiro lugar, endereçamos um enorme abraço.

Foram 45 produções.

A sua criação deve-se à Câmara Municipal de Évora, ao Ministério da Cultura /DGArtes, à Delegação Regional de Cultura do Alentejo, à Fundação Eugénio de Almeida, ao IEFP, à Luzeiro, à União de Freguesias de Évora, à Diana FM, à PédeXumbo, ao Diário do Sul e Rádio Telefonia, à Ebogest (e ao Joaquim Saiote), à JAP-Escrita, às companhias e autarquias que, nos seus espaços, nos acolheram e a tantos outros que, com elevado sentido de solidariedade e interesse na cultura em Évora, nos apoiaram e apoiam.

Habitamos um espaço, gentilmente disponibilizado pela Câmara Municipal de Évora, em 2003, cedido -- gratuitamente -- a largas dezenas de estruturas nacionais e estrangeiras. O que muito nos orgulha!

Quarenta e cinco produções.

E uma curta-metragem: 'Pobre de Pedir', realizada por Vítor Moreira.

E o ÉVORA TEATRO FEST, cujo êxito em 2021 mereceria que a segunda edição se realizasse, no próximo mês de Outubro, não fosse...

Um esforço hercúleo -- e não apenas físico e intelectual -- que só uma vasta equipa, autores incluídos, poderia concretizar.

A todos eles, o público reconhecimento por nos acompanharem neste caminho.

Em Outubro, quando forem conhecidos os resultados da candidatura aos Apoios da DGArtes, saberemos o que o futuro nos reserva.

Branco Dissertação Comparação Paisagem Opcional Meme.png
foto dia 1.jpg

E, regressados de férias, damos início à nova temporada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

- Em ensaios, aquela que será a 46ª produção:

'DIÁLOGOS COM UM CALENDÁRIO', de Veronika Boutinova (Bulgária).

Na foto, da esquerda para a direita, Danilsa Gonçalves (actriz), Apollo Neiva (actor), Pedro Fazenda (cenografia e figurinos), Figueira Cid (encenação), Elsa Pinho (assistente de encenação) e Duarte Banza (actor).

Estreia prevista para 17 de Novembro.

A programação até final do ano

APNEIA _ teatro

produção Malvada Associação Artística

5 a 8 Outubro | 21h30

a bruxa TEATRO

A CURIOSIDADE DOS ANJOS, de François Cervantés _ teatro

produção a bruxa TEATRO

15 Outubro | 21h30

Festival de Teatro Construção | Centro Cultual da Juventude de Joane

DIÁLOGOS COM UM CALENDÁRIO, de Veronika Boutinova _ teatro

produção a bruxa TEATRO

17 Nov a 3 Dez | 21h30

quarta a sábado | a bruxa TEATRO

20 ANOS DE 'MUITA MERDA' _ exposição

produção a bruxa TEATRO

17 Nov a 3 Dez | 17h-19h e 21h-23h30

quarta a sábado | espaço celeiros, sala 5

NÃO VAIS ENTRAR? _ teatro

produção Lobby Teatro

17 Dezembro | 21h30

a bruxa TEATRO

Cópia de Cópia de Cópia de boasfestasinsta.png

Subscreva a nossa Newsletter

Obrigado e até breve!

bottom of page